5 superalimentos biológicos que precisas de conhecer

Bárbara Oliveira

Nutricionista

A alimentação saudável tem vindo a ser cada vez mais relacionada com uma alimentação sustentável e com a utilização de alimentos orgânicos. Contudo, apesar da promoção feita a este tipo de produtos, ainda há algumas dúvidas relacionadas com a definição exata destes alimentos e os seus benefícios, provados cientificamente, relativamente aos da agricultura convencional.

Segundo a Direção Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural, a produção biológica (ou orgânica) é definida como “um sistema global de gestão das explorações agrícolas e de produção de géneros alimentícios que combina as melhores práticas em matéria ambiental e climática, um elevado nível de biodiversidade, a preservação dos recursos naturais e a aplicação de normas exigentes em matéria de bem-estar dos animais e de normas exigentes em matéria de produção em sintonia com a procura, por parte de um número crescente de consumidores de produtos produzidos através da utilização de substâncias e processos naturais.”

5 superalimentos orgânicos que precisas conhecer

Os benefícios para o ambiente são inúmeros, ainda assim, estudos mostram que as principais razões que levam as pessoas a optarem por alimentos de agricultura biológica são “razões de saúde”. Vejamos então quais são os benefícios para a saúde baseados na ciência, que justificam a opção por alimentos orgânicos

Há benefícios comprovados dos alimentos biológicos para a saúde?

Em primeiro lugar, o principal motivo que pode levar a optar por alimentos biológicos é o menor uso de pesticidas, fertilizantes artificiais e bactérias resistentes a antibióticos do que na agricultura convencional. Apesar destes produtos químicos serem considerados seguros nas quantidades usadas na agricultura convencional, há estudos que evidenciam potenciais danos na saúde com a sua exposição repetida.

Relativamente à “melhoria da qualidade nutricional” dos produtos biológicos em comparação com os alimentos de agricultura convencional, os estudos realizados ainda são poucos e não permitem identificar tendências relevantes em relação a marcadores para a saúde. Há, no entanto, alguns estudos que demonstram uma presença superior de certos antioxidantes em alimentos provenientes de agricultura biológica relativamente à agricultura convencional.

Nesta perspetiva, foi lançada a gama de superalimentos biológicos. Isto porque com a crescente procura e uso de superalimentos, a oferta destes em condições de produção biológica foi reconhecida como necessária.

Superalimentos biológicos, os seus benefícios e sugestões de receitas

 

Cacau cru em pó

O cacau é feito a partir das sementes do fruto do “cacueiro” e apresenta inúmeros benefícios para a saúde pela sua rica composição nutricional em vitaminas e minerais com propriedades antioxidantes que atuam no sistema cardiovascular e têm o potencial de melhorar os níveis de colesterol sanguíneo.

Receita de papas de aveia com cacau

Curcuma em pó

A curcuma é uma especiaria obtida através de uma raiz também conhecida como “açafrão-das-índias”. Apresenta inúmeras propriedades anti-inflamatórias, antisépticas e antibacterianas.

Receita de “Golden Milk”

  • 200ml de bebida vegetal ou leite
  • ½ colher de café de curcuma em pó
  • ½ colher de café de gengibre em pó
  • Uma pitada de pimenta preta
  • ½ colher de chá de canela em pó

Açaí em pó

5 superalimentos orgânicos que precisas conhecer

Para além das suas propriedades energéticas, o açaí possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que atuam a nível do nosso sistema imunitário e sistema cardiovascular. Também o teor de fibra que apresenta pode ser um aliado para o bem-estar da saúde intestinal.

Receita de pudim de chia com açaí

  • 1 iogurte natural
  • 1 colher de sopa de sementes de chia
  • 1 colher de chá de açaí em pó
  • Misturar tudo e deixar no frigorífico durante a noite
  • No dia seguinte, adicionar 1 porção de fruta por cima e servir

Maca em pó

A maca é uma raíz rica em minerais, nomeadamente o ferro, o fósforo e o cálcio, que contribuem para o normal funcionamento do nosso organismo.

Receita de batido de fruta e maca

  • ½ banana
  • ½ morango
  • 1 copo de bebida vegetal ou 1 copo de leite
  • 1 colher de chá de maca
  • 1 colher de sopa de aveia

Ashwagandha em pó

Tanto a planta como a raiz de ashwagandha costumam ser utilizados para fins medicinais dados os seus efeitos cardioprotetores e anticancerígenos.

Receita de panquecas de bem-estar matinal com ashwagandha

  • 4 colheres de sopa de aveia natural
  • 1 ovo
  • 1 colher de chá de ashwagandha
  • 1 colher de sobremesa de canela em pó

Conclusão sobre a alimentação biológica

As escolhas para uma alimentação biológica devem ser feitas com decisões fundamentadas por pesquisas evidenciadas. A mudança para uma alimentação biológica pode trazer uma redução na exposição de pesticidas, fertilizantes artificias e bactérias resistentes a antibióticos, no entanto, se a motivação for a escolhe de alimentos “mais nutritivos”, então ainda não há evidências suficientes que comprovem essa teoria.

Se for possível para o indivíduo, a nível monetário, uma alimentação feita à base de produtos biológicos, poderá ser uma hipótese benéfica. No entanto, se não for o caso, então o melhor é tentar introduzir, pelo menos, os produtos que consome diariamente na versão biológica, ou os que são identificados como os alimentos que têm mais resíduos de pesticidas (os morangos são os primeiros da lista!).

Indivíduos de grupos vulneráveis, como as crianças, os idosos ou as grávidas são quem poderá beneficiar mais desta escolha na alimentação.

REFERÊNCIAS

  1. http://www.dgadr.gov.pt/sustentavel/modo-de-producao-biologico
  2. https://www.comparethemarket.com.au/health-insurance/is-organic-food-worth-it/
  3. https://jech.bmj.com/content/early/2017/02/22/jech-2016-208463
  4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4141693/
  5. https://www.foodpolitics.com/wp-content/uploads/14-06-12-Final-Crops-Paper-BJN5552.pdf
  6. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30267227
  7. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26505650
  8. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28720389
  9. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28718769
  10. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28647972
  11. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4141693/
  12. https://www.foodpolitics.com/wp-content/uploads/14-06-12-Final-Crops-Paper-BJN5552.pdf
  13. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3530008/
  14. http://sci-hub.tw/https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22944875/
  15. https://www.ewg.org/foodnews/dirty-dozen.php
Bárbara Oliveira

Nutricionista

Nutricionista licenciada em Ciências da Nutrição, com certificação em Nutricoach e Nutrição Desportiva. Tem experiências profissionais, nacionais e internacionais, em várias áreas da Nutrição Comunitária e Clínica. Neste momento, dedica-se às áreas da Nutrição Desportiva e Clínica, além de partilhar o seu estilo de vida e receitas saudáveis no seu site.

Destaques

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e para fins estatísticos. Ao visitar o site, está a consentir a sua utilização. Para mais informações sobre os cookies utilizados, respetiva gestão ou desativação neste dispositivo, clique aqui.