Ornitina, lisina e arginina – O que são e o que fazem estes aminoácidos?

Carlos Otero

Atleta

As hormonas são essenciais para a saúde e vitalidade humanas. As mais conhecidas são as que regulam as funções sexuais, como a testosterona e o estrogénio, as relacionadas com o stresse, como o cortisol, e as que regulam os níveis de açúcar no sangue, como a insulina. Mas há outra hormona bastante importante para o desempenho desportivo: a hormona do crescimento ou HC.

É a responsável pelo desenvolvimento dos órgãos, dos músculos, do esqueleto etc. Além disso, tem uma função importante no aproveitamento do nitrogénio e na absorção dos aminoácidos por parte das células musculares. Atua em conjunto com a insulina fazendo com que o organismo utilize a gordura como fonte principal de energia, atendendo às necessidades e de acordo com a nossa flexibilidade metabólica.

Por este motivo, podemos considerar que desempenha funções anabólicas e anticatabólicas ao conservar ou utilizar aminoácidos musculares, gordura ou glucogénio, de acordo com as nossas necessidades específicas e o nível de esforço.

Com o avançar da idade, os seus níveis vão diminuindo. Este processo provoca uma redução da massa muscular, contribuindo para o aparecimento da sarcopenia e o aumento da gordura corporal [1].

Por aqui se vê que esta hormona é muito importante na manutenção da massa muscular. Visto isto, a pergunta que se coloca é a seguinte: como aumentar naturalmente os níveis da hormona do crescimento?

A força conjunta da arginina, lisina e ornitina

Estes três aminoácidos têm um poderoso efeito sinergético na estimulação da hormona do crescimento e no bloqueio da somatostatina, um bloqueador da hormona do crescimento. Além disso, em conjunto, atuam como um potente vasodilatador.

O que é a arginina, a ornitina e a lisina?

A arginina é um aminoácido essencial e precursor do óxido nítrico e da ornitina [2]. É também necessária para a síntese da creatina [3]. A arginina desempenha papéis importantes em várias tarefas cruciais como a divisão celular, a cicatrização de feridas, a produção de hormonas e a regularização do sistema imunitário.

Diversos estudos científicos demostram que a arginina reduz o tempo de recuperação de lesões ou ferimentos [4] [5], bem como a pressão arterial [6] [7]. É importante prestar atenção à sua biodisponibilidade.

A L-arginina é absorvida a partir do intestino delgado e, a partir daí, é transportada para o fígado. Nesse processo, a sua administração oral poderá não ser uma opção muito interessante se a dose não for suficiente. Em administrações de 6 g, a absorção final poderá ser de apenas 68% (Bode-Böger et al., 1998).

Aminoácidos: arginina

A ornitina é um aminoácido sintetizado através da arginina, é precursora da citrulina e libertada no ciclo da ureia. O processo da ureia é uma cadeia de reações que o organismo realiza para expelir o amoníaco e os restantes compostos de nitrogénio que prejudicam o desempenho.

A ornitina acelera estas reações, sendo, por isso, um grande auxílio no desempenho desportivo. Um estudo científico mostrou que a suplementação com ornitina reduz a fadiga durante corridas e esforços com pesos [8].

A lisina é um aminoácido essencial não produzido naturalmente pelo corpo, ou seja, tens de o obter através da alimentação ou de suplementos. Este aminoácido é importante para o crescimento e desempenha um papel essencial na produção de carnitina, um nutriente responsável por converter ácidos gordos em energia.

A lisina estimula a libertação de HC, motivo pelo qual é utilizada, pura ou em combinação com outros aminoácidos, em crianças para estimular o crescimento e em idosos para retardar o envelhecimento.

O efeito anabólico da arginina, ornitina e lisina

A suplementação de arginina e ornitina aumenta os níveis de várias hormonas, especialmente da hormona do crescimento e da insulina. Num estudo realizado em 2010, 17 praticantes de musculação foram divididos em dois grupos. Num deles, os atletas tomaram suplementos de arginina e ornitina. Os atletas do outro grupo receberam um placebo.

As análises às amostras de sangue recolhidas dos atletas permitiram aos cientistas registar um maior estímulo na síntese da hormona do crescimento e maior circulação de insulina nos atletas suplementados com arginina e ornitina [9].

O efeito da arginina e ornitina é potenciado com a inclusão de lisina. A combinação destes três aminoácidos traz benefícios tanto para a saúde como para o desempenho desportivo, apesar de que, na maioria dos casos, as doses necessárias podem ser bastante superiores às encontradas na maior parte dos suplementos do mercado.

Não é tão fácil encontrar quantidades suficientes destes aminoácidos nos alimentos para que se verifiquem efeitos significativos no desempenho, a menos que seja através de suplementos. É necessário avaliar se o custo-benefício destas doses é realmente interessante no nosso caso concreto.

Referências:

    1. Rudman, D. et. al., Effects of human growth hormone in men over 60 years old, The New England Journal of Medicine 5;323(1):1-6, julio 1990.
    2. Andrew, P. & Mayer, B., Enzymatic function of nitric oxide synthases, Cardiovascular Research 43 (3): 521-531, 1999.
    3. Paddon-Jones, D. & Børsheim, E. & Wolfe, R., Supplement: Arginine Metabolism: Enzymology, Nutrition, and Clinical Significance Potential Ergogenic Effects of Arginine and Creatine Supplementation, The Journal of Nutrition 134:2888S-2894S,
      octobre 2004.
    4. Stechmiller, J. & Childress, B. & Cowan, L.. Arginine supplementation and wound healing, Nutrition in Clinical Practice 20(1):52-61, febrero 2005.
    5. Witte, M. & Barbul, A.. Arginine physiology and its implication for wound healing, Wound Repair and Regeneration 11(6):419-23, noviembro 2003.
    6. Gokce, N., L-arginine and hypertension, Journal of Nutrition 134(10 Suppl):2807S-2811S; discussion 2818S-2819S, octobre 2004.
    7. Rajapakse, N. et. al., Exogenous L-Arginine Ameliorates Angiotensin II-Induced Hypertension and Renal Damage in Rats, Hypertension 52:1084, 2008.
    8. Sugino, T. et. al., L-ornithine supplementation attenuates physical fatigue in healthy volunteers by modulating lipid and amino acid metabolism, Nutrition Research 28(11):738-43, noviembro 2008.
    9. Zaj.c, A. et. al., Arginine and ornithine supplementation increases GH and IGF-1 serum levels after heavy-resistance exercise in strength-trained athletes, The Journal of Strength and Conditioning Research 24(4): 1082-1090, abril 2010.
    10. Willoughby, D. S., Boucher, T., Reid, J., Skelton, G. and Clark, M.. Effects of 7 Days of Arginine-Alpha-Ketoglutarate Supplementation on Blood Flow, Plasma L-Arginine, Nitric Oxide Metabolites, and Asymmetric Dimethyl Arginine After
      Resistance Exercise.
    11. Saeed Shirali, Seyed Ahmad Hosseini and Alireza Barari. Investigating the effects of resistance training on the functions of GH/IGF1 axis and L-arginine supplementation.
    12. Griffith RS, Norins AL, Kagan C. (1978). A multicentered study of lysine therapy in Herpes simplex infection. Dermatologica. 156 (5): pp. 257-267. PMID 640102.
    13. Unni US et al.. The effect of a controlled 8-week metabolic ward based lysine supplementation on muscle function, insulin sensitivity and leucine kinetics in young men. Clin Nutr. (2012).
Carlos Otero

Atleta

Atleta e profissional de segurança pública, procura manter a sua forma física ao mais alto nível. Frequentou várias formações na área de nutrição e suplementação desportiva e está sempre atento a novas tendências e novos hábitos saudáveis. Procura sempre o meio termo e adora uma boa gargalhada!

Destaques

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação e para fins estatísticos. Ao visitar o site, está a consentir a sua utilização. Para mais informações sobre os cookies utilizados, respetiva gestão ou desativação neste dispositivo, clique aqui.